ÁGUA

Lançadas Normas Técnicas para gestão integrada de recursos hídricos

                           

Em comemoração à publicação de três importantes normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) – NBR 16.782, NBR 16.783 e revisão da NBR 15.527, que visam regulamentar tecnicamente práticas ligadas à gestão integrada de recursos hídricos – foi realizado nesta terça-feira (26), em São Paulo, o ‘Seminário Conservação de Água e Uso de fontes alternativas em edificações – Diferencial competitivo para empreendimentos’.

A celebração das publicações se deve ao enorme esforço realizado nas últimas décadas para reduzir o consumo de água potável nas edificações, visando não apenas a gestão correta dos recursos hídricos e a mitigação dos impactos que a escassez de água causa nos centros urbanos, mas também pensando no bolso do consumidor. São elas:

“Reduzir a quantidade de água utilizada e reaproveitar a água que seria desperdiçada beneficiará economicamente empreendimentos e as contas mensais das famílias”, destaca o vice-presidente da área de Meio Ambiente da CBIC e presidente da Comissão de Meio Ambiente (CMA) da entidade, Nilson Sarti.

“Esse arcabouço de normas vai viabilizar o uso racional da água para todo o Brasil e, mais do que isso, o uso consciente da água”, menciona Francisco Vasconcellos, representando o presidente do Sinduscon-SP, Odair Garcia Senra, ao lembrar que faltava embasamento técnico e organizado nas ações anteriormente criadas para o uso racional da água.

“Esse conjunto de normas é fundamental para o uso racional e para a vida”, menciona o presidente da ABNT, Mário Willian, parabenizando o esforço da CBIC e do SindusCon-SP na Comissão de Estudo para conseguir concluir essas três importantes normas.

Participaram do trabalho de elaboração e revisão dos textos das normas, na Comissão de Normas de Água da ABNT, que vão balizar e equalizar as diversas propostas de legislações municipais, dentre outros:

​O seminário contou com a realização do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional) e de entidades parceiras.

CBIC e SindusCon-SP lançam Guia Orientativo de Normas de Água

O ‘Guia Orientativo das Normas de Conservação de Água, Fontes Alternativas Não Potáveis e Aproveitamento de Água de Chuva em Edificações’, desenvolvido pela CBIC e pelo SindusCon-SP, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional) e lançado nesta terça-feira, visa auxiliar os usuários das normas de Água da ABNT.

O Guia tem o objetivo de demonstrar, de forma amigável, as orientações essenciais para a o uso, conservação e o aproveitamento de água em edificações.

“O Guia Orientativo vai facilitar aos nossos empreendedores e à comunidade em geral o uso correto dessas novas normas tão importantes”, comemora Nilson Sarti, lembrando o trabalho intenso realizado para evitar legislações errada sobre o tema.

“Quando São Paulo passou pela grave crise de falta de água, sentimos a necessidade de ter normas bem definidas para reuso de água de chuva e fontes alternativas. Neste momento, temos as normas e todas as entidades aqui reunidas, com uma interlocução muito mais fácil com o Poder público, com as normas e as regulamentações devidas”, disse.

A publicação estará disponível em meio físico e em meio digital para download no site da CBIC.

Também serão disponibilizados vídeos e apresentação em powerpoint com falas e comentários técnicos aos associados da entidade para serem utilizadas na multiplicação desse conhecimento nas suas bases.

Os assuntos tratados no Seminário e no Guia têm interface com o projeto ‘Desenvolvimento Sustentável na Indústria da Construção’ da CBIC com o Senai Nacional.

A partir de hoje (26), segundo Franscisco Vasconcellos, o SindusCon-SP também disponibiliza em seu site o ‘Guia Metodológico de Cálculo da Pegada Hídrica em Edificações’, elaborado pela Caixa Econômica Federal, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e SindusCon-SP.

Fonte: Agência CBIC – 26/11/2019